Empreender pode ser visto como um sinônimo para arriscar. Entretanto, arriscar não é uma prática fácil de ser realizada. É fundamental possuir recursos financeiros suficientes para se destacar e sustentar o negócio. A forma mais comum de angariar recursos se dá por meio dos bancos ou das agências de factoring. 

É correto afirmar que os empréstimos são essenciais para estimular o ecossistema empreendedor em um país. Sem essa alternativa, a maioria dos negócios não sairia do papel. Afinal, quem nunca teve uma boa ideia de negócio, mas não levou o projeto adiante por falta de recursos financeiros?

Contudo, as empresas precisam saber escolher a melhor forma para adquirir o empréstimo. Nesse sentido, escrevemos este artigo para mostrar qual a melhor opção para empreendedores: bancos ou factoring? Não perca essa oportunidade. 

O que é factoring?

Antes de mais nada, precisamos explicar o conceito de factoring. Esse processo pode ser definido como o adiantamento de valores que as empresas receberiam a prazo, para receberem à vista.

Pode-se dizer que o factoring garante estabilidade ao empresário que busca a consolidação no mercado, uma vez que há o aumento do seu poder de negociação.  

Para garantir o sucesso da operação é preciso que o empreendedor tenha um bom controle financeiro, sendo capaz de gerenciar o fluxo de caixa, garantir o pagamento das contas futuras e o correto sequenciamento da vida financeira da companhia. 

É interessante destacar que as empresas de factoring não podem ser comparadas com os bancos, uma vez que elas não realizam empréstimos. A forma de fornecer recursos financeiros para seus clientes se dá por meio da antecipação dos valores que eles têm a receber.

Como é o funcionamento do factoring?

O adiantamento de recebíveis só é possível pelo fato de as empresas de factoring realizarem a compra de títulos (cheques, duplicatas ou direitos de contratos). Para tanto, elas analisam o valor do título, o tempo que ele levará para ser pago e quem é o devedor. 

As empresas avaliam o risco da operação e, a partir disso, definem o índice de faturização. A transação envolve três partes: a factoring, o cedente e o sacado. 

A factoring é quem compra o crédito. O cedente é a empresa que cede seus direitos em troca do adiantamento dos valores. Já o sacado é o indivíduo que deu origem ao crédito. A transação é confirmada quando há a assinatura do contrato pela factoring com o cedente. Quando é chegado o prazo para pagamento, o sacado deve quitar sua dívida, finalizando o procedimento.

Quais as suas vantagens?

São inúmeras as vantagens de optar pela antecipação de recebíveis. É preciso lembrar que o seu principal objetivo é aumentar o capital de giro e prover recursos financeiros para a companhia, prejudicando o mínimo possível o seu fluxo de caixa.

A primeira vantagem é que o processo é bem menos burocrático e mais simples de ser realizado. A quantidade de documentos exigidos também é inferior, facilitando a aprovação do crédito

Outra vantagem considerável de se optar por factoring é o fato de não haver juros. As taxas pagas são relativas a um desconto pela antecipação dos valores, não existindo nenhuma quantia a ser acertada posteriormente.

E as vantagens do empréstimo junto aos bancos?

Apesar das altas taxas de juros, da burocracia do processo e de todos os documentos necessários para a aprovação do crédito, o empréstimo junto aos bancos apresenta algumas vantagens. 

A primeira vantagem dessa opção para os empreendedores é o acesso imediato ao dinheiro. Assim que toda a documentação for aprovada, o dinheiro já estará disponível na conta do empreendedor. 

Além disso, os valores de suas vendas não serão afetados, ou seja, no futuro você saberá exatamente o que tem a receber. Dessa forma, será possível planejar investimentos, realizar o pagamento de contas e conseguir controlar o fluxo de caixa sem maiores problemas. 

Por fim, podemos destacar que a escolha de uma taxa de juros fixa pode ser vantajosa, por permitir que o empreendedor só pague ao banco credor o valor contratado como juros, sabendo antecipadamente o montante total a ser pago. 

Quais pontos devem ser analisados antes de escolher a melhor opção?

Existem alguns pontos que devem ser analisados antes de optar entre bancos ou factoring. É fundamental observar pontos como a necessidade de crédito, a escolha da instituição financeira e as condições de pagamento

Necessidade de crédito

O primeiro aspecto a ser analisado é a necessidade de crédito. É preciso ter ciência do valor do financiamento e qual a destinação que os recursos terão. Compra de máquinas, matéria-prima, investimento na estrutura física e expansão das atividades são alguns dos usos mais comuns. 

Escolha da instituição financeira

Independentemente da melhor opção para os empreendedores, a instituição financeira terá papel fundamental no processo. Caso o empréstimo em bancos seja a melhor alternativa, é preciso procurar por bancos que não possuam taxas de juros elevadas e contratos abusivos, por exemplo. 

Além disso, deve-se procurar por instituições menos burocráticas e que possibilitem o fácil acesso ao crédito, evitando a perda de oportunidades e/ou o agravamento da situação da empresa. 

Em contrapartida, se a antecipação de recebíveis for a melhor opção, deve-se buscar por empresas especializadas no assunto e renomadas no mercado. É fundamental perceber uma relação de parceria entre a factoring e o seu negócio, garantindo uma associação honesta e rentável para ambos. 

Condições de pagamento

Por fim, mas não menos importante, as condições de pagamento também devem ser avaliadas. As taxas de juros dos bancos ou os índices arrecadados pelas empresas de factoring precisam ser considerados. 

Eles não podem ser demasiadamente altos, a ponto de gerar prejuízos para quem necessita do recurso financeiro. Além disso, o empreendedor deve se programar para o futuro da companhia, seja realizando o pagamento do empréstimo, seja arcando com a antecipação de recebíveis. 

A escolha da melhor opção dependerá da realidade de cada empreendimento. As informações devem ser avaliadas e colocadas em uma balança, verificando a necessidade da empresa e a forma como os recursos serão utilizados. 

Todavia, é preciso deixar claro que a realização de um empréstimo bancário pode ser arriscada, levando em consideração a realidade econômica do nosso país. Infelizmente, a imprevisibilidade não nos permite correr riscos desnecessários, que podem ocasionar sérios prejuízos. Pense nisso no momento de optar entre bancos e factoring. 

E aí, gostou do nosso artigo? O que achou das informações que destacamos sobre bancos e factoring? Deseja mais informações sobre o assunto? Então, fique de olho no nosso site e esteja atento a todas as nossas atualizações.

Autor

Escreva um comentário